Vai viajar para o Sul? Confira 6 lugares incríveis para conhecer

Vai viajar para o Sul? Confira 6 lugares incríveis para conhecer

Brasil é cercado de belezas e encantos que estão espalhados por todas as suas regiões. Uma delas costuma ser, especialmente, o destino de muitos turistas que desejam conhecer cenários exuberantes do nosso país. Com certeza, você já ouviu falar em algumas das belas atrações que estão localizadas nessa região, como as Cataratas do Iguaçu, Gramado, Morretes, etc. Viajar para o Sul é vivenciar uma experiência única, que proporciona paisagens de tirar o fôlego.

A área é composta pelos estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. O local tem suas peculiaridades e diversidades, portanto você nem vai acreditar que está mesmo no Brasil em alguns momentos.

Pensando nisso, vamos apresentar 6 opções de destinos para viajar para o Sul do país e as principais características de cada uma delas. Continue a leitura!

1. Cataratas do Iguaçu — Paraná

Eleita uma das 7 Maravilhas da Natureza e Patrimônio da Humanidade, as Cataratas do Iguaçu merecem destaque em nossa lista. Esse passeio tornará sua experiência inesquecível e única.

As Cataratas estão localizadas no Parque Nacional do Iguaçu, fundado em 1939. Trata-se do maior cenário de Mata Atlântica na região Sul do Brasil, sendo que o complexo tem uma grande biodiversidade, com raras espécies da fauna e da flora (algumas consideradas em extinção).

Porém, a atração principal continua sendo o complexo de Cataratas. Um conjunto de enormes cachoeiras, com mais de 250 quedas, e que, com seu volume de água gigantesco, esbanja imponência, deixando todos os visitantes maravilhados e extasiados com tamanho poder da natureza.

2. Gramado — Rio Grande do Sul

Gramado reúne surpresas e várias atrações para os turistas. A cidade está localizada na Serra do Rio Grande do Sul, é o maior centro turístico da região e costuma sediar diversos eventos, como congressos, seminários, festivais de cinema — Festival Brasileiro de Cinema; Festival Latino de Cinema — e Festival do Natal Luz etc.

As outras atrações também são muito conhecidas. Há um parque de neve indoor, conhecido como “Snowland, o Mini Mundo”, ideal para crianças, pois é rodeado de miniaturas e réplicas de paisagens. Entre os principais pontos que atraem visitantes, temos:

  • Museu de Cera Dreamland;
  • Harley Motor Show;
  • Lago Negro;
  • Cascata Véu de Noiva;
  • Aldeia do Papai Noel;
  • Igreja de São Pedro, além de muitos outros.

Por último, mas não menos importante: a cidade oferece uma gastronomia rica e saborosa, com a presença de variados restaurantes.

3. Morretes — Paraná

Morretes é uma cidade histórica e litorânea do Paraná. Ela é bastante famosa devido à sua arquitetura antiga, que representa a vida do Brasil colônia. Muitos edifícios da região foram preservados e estão praticamente intactos.

Dentre algumas atrações do local, há os Parques Estaduais: Pico do Marumbi, Graciosa, Saint-Hilaire/Lange e Pau Oco. Além disso, o local oferece várias opções gastronômicas, como o prato típico da região — o barreado, que é um delicioso cozido feito de carne bovina.

O passeio de trem para a cidade de Morretes é muito conhecido e costuma ser buscado pelos turistas ainda em Curitiba. Nele, atravessa-se a famosa ferrovia Paranaguá-Curitiba.

Para chegar até o município, você pode optar pelo carro, passando pela Estrada da Graciosa, ou ir de trem, adentrando a Serra do Mar — local que ainda preserva a Mata Atlântica.

4. Praia do Rosa — Santa Catarina

A Praia do Rosa fica em Imbituba, no litoral sul do estado de Santa Catarina, em um município a cerca de 90 km de Florianópolis (o que dá por volta de uma hora viagem). Ela é bastante procurada por turistas e praticantes de kitesurf ou stand-up paddle, sendo famosa devido à sua beleza e ao mar agitado e com grandes ondas.

O acesso se dá por trechos de estrada de terra, já que ainda há poucas ruas pavimentadas que levam ao local. Lá, você ainda encontra uma variedade de restaurantes e lojas que vendem artesanato.

5. Parque Nacional de Aparados da Serra — Rio Grande do Sul

Aparados da Serra fica próximo ao município de Cambará do Sul, no limite entre os estados do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina. O parque, inaugurado em 1959, é uma unidade de conservação brasileira e proteção da natureza. Ele está aberto para visitação durante o ano inteiro.

A região tem o maior complexo de cânions de toda a América do Sul e é cercada de paisagens deslumbrantes, formadas pela Mata Atlântica, por cachoeiras, vales profundos e quedas d’água com mais de 700 metros, além de formações rochosas que remontam a 130 milhões de anos.

O Cânion do Itaimbezinho é considerado a atração turística mais famosa do local. O clima da região costuma ser úmido e as temperaturas atingem, em média, 16 graus, variando conforme a época do ano.

6. Ópera de Arame — Curitiba

A Ópera de Arame é um anfiteatro muito conhecido por seu formato tubular, composto por tubos de aço, estruturas metálicas e um teto transparente. A construção está erguida sobre um lago artificial de 7.500 m², uma cascata com cerca 10 metros e uma rica vegetação.

Inaugurado em 1992, trata-se de um dos cartões-postais de Curitiba. Ele faz parte do conjunto do Parque das Pedreiras, sendo que seu palco conta com 480 m² e capacidade para cerca de 1.500 espectadores. Ali, são apresentados variados tipos de espetáculos cênicos e musicais, além de formaturas, congressos e simpósios.

Para chegar até o monumento, deve-se passar por uma ponte de ferro que fica acima do lago. O local é muito procurado por turistas devido à sua beleza e aos seus encantos. Vale a pena separar um dia para conhecer a região.

Viajar para o Sul do Brasil é uma excelente decisão e, com certeza, você não vai se arrepender. Para que tudo saia conforme o esperado, é muito importante criar um roteiro de viagem, listando todo o planejamento para antes e durante o passeio.

Assim, dá para aproveitar melhor todos os pontos turísticos que essa bela região tem a oferecer. Considere incluir os destinos acima em sua próxima viagem — você verá que vale a pena!

E então? Gostou deste artigo? Compartilhe-o nas redes sociais para que seus amigos também conheçam as belezas da região Sul do Brasil!

Acessórios para viagem: descubra como viajar com mais conforto

Acessórios para viagem: descubra como viajar com mais conforto

Viajar é uma experiência desejada por grande parte das pessoas. Para tornar essa experiência ainda mais agradável, você pode contar com alguns acessórios para viagem que, certamente, trarão mais conforto durante o trajeto.

Eles podem fazer com que você chegue ao seu destino satisfeito e muito mais descansado e disposto, mesmo tendo que enfrentar muitas horas de voo pela frente e uma longa distância.

Pensando nisso, vamos apresentar acessórios para viagem que trarão praticidade e satisfação durante o seu deslocamento. Acompanhe a leitura!

Travesseiro para o pescoço

A poltrona do avião pode ser desconfortável e dura para a maioria dos passageiros. Para driblar o problema, você pode levar consigo um travesseiro ou almofada, que deixarão seu corpo muito mais confortável.

Geralmente, são confeccionadas em microfibra e possuem enchimento em microesferas além do  formato ergonômico que ajuda a manter a cabeça em uma posição confortável. Dessa maneira, você conseguirá dormir por horas e relaxadamente, e não despertará sentindo aquela incômoda dor no pescoço.

Além disso, a maioria costuma ser facilmente dobrável. Assim, fica mais fácil de carregar e guardar na sua bagagem. Este, sem dúvida, é um dos melhores acessórios para viagem.

Fones de ouvido

Algumas companhias aéreas têm o hábito de distribuir, gratuitamente, fones de ouvido durante o voo. Porém, a qualidade não é das melhores. Além disso, possuir o seu próprio pode ser uma ótima opção.

Dessa maneira, invista em um equipamento de qualidade e que tenha boa portabilidade com o uso prático e fácil. Além do mais, eles costumam funcionar bloqueando ruídos externos desagradáveis e permitem, assim, que você desfrute de uma viagem mais silenciosa e tranquila.

Tapa olho

O organismo humano está acostumado a descansar em locais escuros e que não ofereçam estímulos visuais exagerados que podem comprometer a qualidade do sono.

Por isso, a iluminação, causada tanto pela luz natural quanto pela luz oriunda de placas de sinalização internas do avião, podem arruinar o seu sono e se tornarem o grande vilão da viagem. Para contornar esse imprevisto, você pode optar por utilizar um tapa olho, que consiste em uma máscara para dormir.

A maioria deles consegue bloquear grande parte da luz e não costumam se deslocar pelo rosto durante o período de descanso. Isso acontece porque eles ficam bem perto do rosto e a maioria apresenta pequenas cintas que possibilitam o ajuste de acordo com a vontade de cada indivíduo.

O acessório para viagem costuma ser muito útil para evitar a interrupção do sono. Porém, a parte ruim é que você corre o risco de perder a refeição oferecida no avião.

Protetores auriculares

O barulho causado por fatores externos, como o motor da aeronave e os outros passageiros mais alterados e extasiados com a experiência, geralmente, são os principais problemas durante o deslocamento.

Caso o seu sono seja leve ou queira um sono tranquilo e sem cortes desnecessários, optar pelo uso de protetores de ouvido pode ser uma ótima escolha. Os protetores auriculares são pequenos e fáceis de levar para qualquer lugar dentro da sua necessaire ou bolsa.

Existem vários modelos. Eles podem assumir diversos formatos, como longos, com hastes que saem do ouvido, grossos ou mais finos, para as crianças. E podem ser confeccionados com materiais específicos, como espuma, silicone, cera de parafina etc.

Geralmente, não há problema nenhum em dormir com os protetores auriculares. Apenas é recomendado manter os ouvidos limpos e higienizados. Se estiver sofrendo alguma infecção, evite o uso até ela cessar, pois esses acessórios para viagem podem piorar e dificultar a recuperação.

Carregador de celular portátil

O carregador de celular portátil é um dos itens que não pode faltar no seu checklist. Esse acessório virou tão essencial quanto o próprio celular. Uma boa viagem é digna de muitas fotos para registrar o momento. E o celular cumpre muito bem esse papel.

Tanto é assim que a câmera do aparelho costuma ser uma das funções mais utilizadas pelos usuários. Além disso, esse equipamento eletrônico pode transmitir filmes e reproduzir músicas durante o trajeto, o que facilita o entretenimento e diminui a sensação de tédio.

Por isso, o carregador portátil é um aliado importante para evitar que seu celular fique sem bateria e você não corra o risco de passar por imprevistos. Esse equipamento tem um tamanho pequeno e é facilmente guardado na bolsa e até mesmo no bolso.

Existem várias marcas no mercado. Cabe a você escolher aquela que mais se adapta às suas necessidades e ao seu bolso. Um ótimo acessório para viagem, não é mesmo?

Cobertor

A maioria das aeronaves trabalha com temperatura interna baixa, principalmente aquelas que operam voos internacionais. Isso significa que há grandes chances de você sentir frio durante o itinerário.

Para evitar esse desconforto, as companhias aéreas costumam oferecer mantas para os passageiros. Contudo, na maioria das vezes, elas não são suficientes para esquentar o corpo. Por isso, considere a ideia de levar um cobertor eficiente que consiga isolar melhor o corpo e, assim, fazer uma viagem mais agradável.

Adaptador de tomada universal

O adaptador de tomada universal é leve e costuma encaixar em qualquer tomada em todo o mundo. Ele é um item fundamental, já que outros países costumam usar design de tomadas diferentes das adotadas no Brasil.

Mesmo que você fique em hotéis ou pousadas, nem todos fornecem adaptadores para os hóspedes. Assim, com o adaptador, você vai poder carregar o seu celular, notebook, câmera fotográfica e outros equipamentos eletrônicos sem problema nenhum.

Apesar de todos os pequenos transtornos que uma viagem de avião pode trazer, você pode se preparar para contorná-los de maneira simples e com praticidade. Para isso, você pode carregar os itens essenciais que vai precisar na sua bagagem de mão.

Antes de sair rumo a mais uma experiência, é muito importante fazer uma lista enumerando todos os acessórios para viagem que deverão ser incluídos na mala. Assim, você não esquecerá nenhum item essencial e passará por contratempos desnecessários. E, dessa forma, conseguirá relaxar e curtir mais esse momento tão especial.

Este artigo foi feito para ajudar a preparar melhor a sua viagem. Você tem alguma sugestão ou alguma dúvida? Assine a nossa newsletter e fique por dentro de todas as novidades que estão vindo por aí!

Roteiro de Ski na Nova Zelândia: 6 estações para você curtir

Roteiro de Ski na Nova Zelândia: 6 estações para você curtir

Já pensou em praticar ski na Nova Zelândia? A estação mais fria do ano reserva muitas surpresas para os amantes de esportes de inverno. Como o Brasil não sofre grandes oscilações de temperaturas e não há neve em grande parte do país, o esporte não tem muita tradição. Por isso, muitos brasileiros viajam até o exterior para aproveitar a época de neve e gelo.

Nova Zelândia é muito famosa pelos esportes de inverno, como ski e snowboard. A alta temporada é marcada por muita neve com pistas espalhadas por várias partes do país. Contudo, antes de viajar para outro país, é preciso se programar com antecedência e definir para onde você vai.

Pensando nisso, montamos um roteiro de SKI na Nova Zelândia com informações que podem ser muito úteis na hora de você montar o seu itinerário e vivenciar novas experiências. Acompanhe a leitura!

Roteiro de SKI na Nova Zelândia

A Nova Zelândia fica localizada no continente da Oceania, no sudoeste do Oceano Pacífico, e é considerada um dos melhores destinos do mundo para a prática de esportes de inverno, muito populares no meio do ano. Veremos, a seguir, algumas estações de ski que disponibilizam pistas para você curtir e muito a estação. Confira!

1. Whakapapa

Essa estação fica situada no Tongariro National Park, no centro da Ilha Norte e na face norte do monte Ruapehu, um vulcão. É o único parque para a prática dos esportes de inverno nessa região do país.

É considerado o maior do território neozelandês e está sempre muito movimentado, funcionando entre o fim de junho até o final de outubro. A precipitação anual de neve pode chegar a até 240 centímetros.

Whakapapa tem uma área total de cerca de 550 hectares e 14 lifts ao longo de 43 pistas, que vão desde 1625 metros de altitude até 2300 metros.

As plataformas são utilizadas de acordo com o nível do esportista — iniciante, intermediário ou avançado. O parque também oferece aulas iniciais para os visitantes inexperientes. Distância:

  • 348 quilômetros da cidade de Auckland;
  • 345 quilômetros da cidade de Wellington.

Quanto custa: a entrada, chamada de “Day Lift Pass”, custa cerca de $95.00. O parque trabalha com pacotes e promoções.

2. Turoa Ski Area

O parque Turoa Ski Area é vizinho da estação de Whakapapa e fica situado na parte sudoeste do monte Ruapehu. O acesso ao local é feito pela cidade de Ohakune.

A estação abre as portas entre os meses de junho até outubro. A altitude na base vai de 1600 até 2300 metros. O parque também conta com uma descida radical de cerca de 722 metros — uma das mais inclinadas da Australásia —, que pode ser acessada pelo maior teleférico da Nova Zelândia, o chamado High Noon Express.

Essa região é muito procurada para a prática de snowboard. Nela existem 12 opções de pistas para esportistas de nível intermediário e 25 pistas para o nível avançado. Confira as distâncias:

  • 360 quilômetros da cidade de Auckland;
  • 285 quilômetros da cidade de Wellington.

Quanto custa: o passe “Day Lift Pass” custa $95.00.

3. Mount Lyford Ski Area

estação Mt. Lyford Ski Area está localizada na Ilha Sul da Nova Zelândia. Sua base fica a 1.510 metros de altura e há pistas com descidas de até 450 metros. O parque conta com serviços como hospedagem, cafés e lojas. Veja as distâncias:

  • 62 quilômetros de Kaikoura;
  • 143 quilômetros de Christchurch.

Quanto custa: o “Day Lift Pass” custa $75.00.

4. Mount Hutt

parque de Mt Hutt está localizado a cerca de uma hora e meia de Christchurch, sob o Southern Alps. Já foi considerada a melhor estação de ski e snowboard da Nova Zelândia e é a mais famosa do local. Está situada a 2086 metros acima do nível do mar.

O parque tem uma área de 472 hectares. É ideal para todos os tipos de praticantes do esporte, desde os iniciantes até os mais avançados. Além das pistas de ski, também oferece atrações como cafés, restaurantes e aulas para iniciantes.

A seguir, mostramos as distâncias para chegar ao local:

  • 115 quilômetros de Christchurch;
  • 321 quilômetros de Dunedin;
  • 378 quilômetros de Wanaka.

Quanto custa: o passe Day Lift Pass custa $95.00, mas é importante pesquisar sobre pacotes e promoções disponíveis.

5. Ohau Snowfields

O parque está localizado no Mont Sutton e seu pico tem mais de 2000 metros de altura. As pistas alcançam entre 1425 até 1825 metros de altitude. Também dispõe de uma área de 125 hectares e está localizado a pouco mais de 20 minutos do belíssimo Lake Ohau Lodge.

O local oferece ótimas plataformas de ski, ideais para os esportistas que já têm nível intermediário ou avançado. Também conta com hospedagem e restaurantes especialmente preparados para atender os turistas.

Quanto custa: o passe “Day Lift Pass” custa $86.00. Aqui, também vale ficar atento aos pacotes e promoções. Confira as distâncias:

  • 322 quilômetros de Christchurch;
  • 263 quilômetros de Dunedin;
  • 154 quilômetros de Wanaka.

6. Treble Cone

Treble Cone foi eleita a maior estação de ski e snowboard na Ilha Sul da Nova Zelândia nos anos de 2013 e 2014. O parque tem 550 hectares e a maior elevação vertical no Southern Alps, que chega a 700 metros. Suas pistas são longas, com até 4 quilômetros, e permitem uma vista panorâmica do lago Wanaka e do Mount Aspiring National Park.

O local oferece pistas com mais elevações e, por isso, é mais apropriado para esportistas que já têm uma certa experiência em esportes de inverno. Além disso, o parque oferece restaurantes, bares e serviços médicos.

As distâncias para chegar até lá são:

  • 23 quilômetros da cidade de Wanaka;
  • 90 quilômetros da cidade de Queestown.

Quanto custa: o “Day Lift Pass” custa $108.00. No entanto, ressaltamos que parque oferece pacotes.

Essas são apenas algumas das opções de estações que você pode incluir no seu roteiro de SKI na Nova Zelândia. O inverno é a época perfeita para você curtir as baixas temperaturas e, ao mesmo tempo, praticar o seu esporte favorito na neve, ou então, começar a aprender um deles. Considere incluir um desses destinos em sua próxima viagem. Você não vai se arrepender!

Se você tem interesse em conhecer a primavera na Europa, conheça também os melhores destinos para praticar hiking no velho continente!

4 dicas de como arrumar mochila cargueira

4 dicas de como arrumar mochila cargueira

Um dos assuntos que mais geram dúvidas entre quem está iniciando no trekking, hiking e em outros esportes outdoor é como arrumar mochila cargueira. Afinal, com tantos pertences para carregar, é complicado pensar no que é realmente necessário e como dispor os itens de maneira inteligente para que a carga não se torne a protagonista da viagem.

Quer entender como arrumar sua mochila cargueira e como escolher um bom produto? Confira as nossas dicas a seguir!
Continue lendo…

Esqui em Nevados de Chillan: como se preparar para essa aventura?

Esqui em Nevados de Chillan: como se preparar para essa aventura?

Aqui no Brasil, não somos muito familiarizados com o esqui, certo? Banhados pelo calor tropical, pouquíssimos brasileiros sabem o que é a neve. Porém, estreitando os laços entre o Brasil e a diversidade da natureza para além de nosso território, nossos vizinhos estão de braços abertos para os turistas que queiram se aventurar no frio! O Chile, mais precisamente as estações de esqui em Nevados de Chillan, são um desses calorosos anfitriões.

Então, deseja ampliar o seu horizonte de aventuras e conhecer as belezas da América do Sul em baixas temperaturas? Nevados de Chillan pode ser o destino ideal. Continue lendo e entenda o motivo!
Continue lendo…