Saiba Como e Onde Fazer as Necessidades Fisiológicas em Uma Mata

Quem nunca durante um hiking ou trekking sentiu aquela vontade urgente de se aliviar? Ou, em meias palavras: fazer o número 2, defecar, o famoso cocô. Isso é normal e não deve ser tabu para ninguém, principalmente para os trilheiros!

Mas também sabemos a importância de preservar a vida silvestre, os rios e lagos da região da trilha. Por isso, vamos deixar o constrangimento de lado e falar sobre o assunto.

Separamos uma série de regras e informações práticas que ajudarão você a saber como proceder para fazer suas necessidades fisiológicas em matas e trilhas, sem colocar a fauna, a flora e, claro, a sua saúde e a dos outros trilheiros em risco. Leia o post e saiba mais!

Algumas regras básicas

Antes de entrar na parte, digamos, prática da questão das necessidades fisiológicas, é bom saber de algumas regras para garantir tanto a saúde dos trilheiros quanto a proteção do meio ambiente.

1. Não deixe rastros de dejetos

Falar de necessidades fisiológicas no meio do mato pode até parecer assunto superado, até você estar no meio de uma caminhada incrível, numa paisagem estonteante e se deparar com rastros de outros trilheiros, inexperientes e pouco preocupados, que já estiveram ali antes de você.

Esse cenário não é raro. E é justamente por isso que aprender a fazer suas necessidades fisiológicas no meio do mato deveria ser a lição número 1 de todo amante de trilhas e trekkings.

Se você é diferente desse perfil de amantes de trilhas e quer aprender a como fazer a coisa da maneira correta, sem prejudicar meio ambiente e, claro, o passeio das outras pessoas que também escolheram e escolherão aquelas matas e trilhas, está no caminho certo!

2. Mantenha-se longe de rios e lagos (e trilhas!)

Sim, é preciso escolher um lugar certo para fazer suas necessidades fisiológicos em uma mata.

O principal é nunca estar próximo à nascentes, nem de rios, lagos e cachoeiras, para evitar a contaminação das águas e causar doenças, tantos nos animais silvestres quanto nas outras pessoas que utilizam aquela água.

As técnicas de trekking falam em 200 pés de distância, ou 60 metros, entre o local escolhido e a fonte de água ou trilha, para preservação da qualidade da mesma e salubridade do ambiente.

Outro ponto importante é escolher locais afastados das trilhas — lembra do desnecessário rastro de dejetos? Os motivos são óbvios: além do mau odor, as fezes podem gerar contaminação do ambiente e acarretar doenças como difteria e verminoses, entre outras.

3. Evite o papel higiênico (ou reserve o papel usado)

“Mas como assim?”, você deve estar se perguntando. É isso mesmo: o papel higiênico é industrializado e, por isso, de difícil decomposição — além de poder deixar traços tóxicos no solo, o que faz com que ele não deva ser enterrado, muito menos incinerado, sob o risco de causar um incêndio na mata.

Se você não abre mão da modernidade do papel higiênico, o segredo é: levá-lo de volta consigo. Um saquinho plástico para armazenar os papéis sujos pode resolver o problema.

Como fazer suas necessidades fisiológicas na mata

Bom, agora que já falamos sobre as três regras de ouro sobre fazer suas necessidades fisiológicas na mata durante o trekking ou o hiking, vamos falar de forma prática: como fazer suas necessidades fisiológicas na mata durante o trekking ou o hiking.

Basicamente, existem duas formas distintas para usar o “banheiro” na mata. Vamos falar um pouco sobre cada uma delas. Acompanhe!

1. Buracos como instalações sanitárias

Você está caminhando e bateu aquela vontade?

Escolha o local correto (obedecendo à regra da distância de rios e trilhas), cave um buraco, faça suas necessidades fisiológicas e enterre!

Por que fazer isso?

O objetivo de cavar o buraco é, basicamente, evitar que os micro-organismos que causam doenças se propaguem seja por via humana, animal ou por água, alcançando o leito dos rios e contaminando o solo e lençóis freáticos, dizimando doenças.

A decomposição das fezes depende do solo, da umidade, permeabilidade e temperatura, entre outros.

Qual o melhor local?

Locais com vegetação e de terra preta, orgânica, mas sem águas por perto são ideais para potencializar a ação das bactérias que aceleram a decomposição das fezes.

Como fazer

  • Escolha o local ideal de acordo com as regras de decomposição;
  • Comece a cavar o buraco de aproximadamente 15 cm. Se você tiver algum objeto como uma pá ou picareta, ótimo! Caso contrário, um galho morto ou pedra podem ajudar nessa tarefa;
  • Para medir a profundidade, calcule um palmo da mão. Evite que o buraco fique muito fundo, pois quanto mais fundo, mais lenta é a decomposição;
  • Evite solos arenosos ou de barro, pois a decomposição também é lenta;
  • Reserve a terra retirada para cobrir o buraco depois;
  • Faça suas necessidades fisiológicas dentro do buraco;
  • Com a ajuda de um graveto, misture as fezes com um pouco da terra da superfície;
  • Enterre o graveto junto com as fezes;
  • Coloque uma pedra em cima das fezes. Isso para que nenhum animal desenterre e cause prejuízos ao meio ambiente;
  • Feche o buraco com a terra separada e lave bem as mãos em seguida para evitar doenças durante a expedição ou trilha.

2. Banheiro portátil

Existem alguns locais onde o solo rochoso não favorece a prática de enterrar as fezes. Para esses locais, incluir na bagagem um banheiro portátil pode ser de grande importância para a expedição.

Basicamente, trata-se de uma cabaninha — ponto para a privacidade! — com assento dobrável e saquinho acoplado para armazenamento dos dejetos. O uso se dá da seguinte maneira:

  • Levante a tampa do assento, colocando na parte central a sacola plástica;
  • Abaixe a tampa para que a sacola se prenda;
  • Coloque uma camada de cal no fundo da sacola;
  • Faça suas necessidades fisiológicas;
  • Pode usar papel higiênico ou lenço umedecido. Jogue-o na sacola.
  • Coloque mais um pouco de cal;
  • Amarre a sacola e coloque ao lado da cabana.

Pronto! Geralmente, esses banheiros portáteis são usados em trilhas longas em que são obrigatórios a contratação de guias. Eles são responsáveis por transportar as sacolas com os dejetos até o local apropriado para descarte.

E o xixi?

Não existem muitas regras para a urina. Xixi no matinho é bem-vindo! Apenas uma regra deve ser observada:

Regra única: Nunca urine numa pequena drenagem nas montanhas

Fazer xixi na cachoeira, no rio, com um volume de água corrente é aceitável, já que o volume da água dilui o mesmo. Mas nunca, nunca mesmo, urine em um pequeno escoamento de montanhas ou em pequenas quantidades de águas paradas. O xixi vai ficar ali poluindo tudo.

Procure um local distante de córregos, trilhas e acampamentos, respeitando a distância de, pelo menos, 40 metros.

Viu só como não é um bicho de sete cabeças fazer suas necessidades fisiológicas no meio do mato? Basta um pouco de conhecimento, cuidado e respeito com a natureza que fica tudo certo! Corpo aliviado e natureza agradecida.

Quer outras dicas como essa para garantir trilhas incríveis? Assine nossa newsletter e não perca as novidades!

Deixe uma resposta

Próximo artigoComo Evitar Bolhas Nos Pés e Machucados ao Caminhar?