Os Cuidados Com os Animais Selvagens ao Fazer Ecoturismo

Para os amantes das trilhas, cachoeiras, matas e trekkings, encontrar e conviver com animais selvagens durante os passeios e caminhadas já se tornou algo corriqueiro. Afinal, quem nunca, durante uma caminhada ou um pedal na natureza, se deparou com gatos do mato, macacos, capivaras, gaviões ou araras?

Geralmente, quando encontramos esses animais, vivenciamos ótimas oportunidades de contemplação e contato com a beleza da natureza. O problema é quando esses encontros acontecem com animais mais perigosos ou peçonhentos como cobras, aranhas, escorpiões e jaguatiricas, comuns na Mata Atlântica e no Cerrado brasileiro.

Confira quais são eles e garanta um ecoturismo muito mais seguro tanto para você quanto para os animais selvagens!

Previna-se: essa é sempre a melhor solução

No caso de contato com animais selvagens, sejam eles peçonhentos ou não, o mais indicado é manter a distância e jamais manipular o animal. Não tente se aproximar, manusear, acariciar, alimentar e, principalmente, afugentar ou espantar o bicho.

Isso porque, via de regra, os animais somente atacam seres humanos, em seu habitat, quando se sentem ameaçados. Portanto, adotar um comportamento preventivo e respeitoso, mantendo a distância e permitindo que o animal simplesmente siga o seu caminho é o melhor a ser feito, evitando problemas tanto para o atleta quanto para os animais selvagens.

Respeito e prevenção são sempre a melhor solução!

Conheça o habitat por onde você vai se aventurar

Antes de colocar a bota no pé, a mochila nas costas e partir rumo à aventura, é indispensável conhecer o local para o qual você está indo. Isso vale tanto para entender as particularidades da região quanto os cuidados necessários para evitar os riscos.

Por exemplo, se a trilha que você for fazer ficar numa mata atlântica, o cuidado com repelente deve ser redobrado, uma vez que esse ecossistema favorece a existência de mosquitos e pernilongos.

Além disso, se o objetivo é montar um acampamento, conhecer a área é fundamental para escolher os melhores locais para montar as barracas, sempre longe de plantações ou pastos onde, no geral, há bastante roedores — os alimentos preferidos das serpentes.

Nesse caso, é importante, ainda, evitar manter o acampamento muito próximo a rios e lagos, pois animais selvagens podem se aproximar para beber água, causando encontros muitas vezes assustadores.

Observe onde pisa e por onde anda

Outro cuidado importante com os animais selvagens durante as atividades de ecoturismo diz respeito à atenção redobrada — se não triplicada — para onde se pisa e por onde se anda. Ora, é importante lembrar que essa é a casa dos animais selvagens. Sim, você é quem está no habitat deles.

Portanto, você deve respeitar e manter a máxima atenção para não pisar onde não deve ou andar por caminhos perigosos. Um dos maiores índices de acidentes durante o ecoturismo acontece com os atletas que não tomam as devidas precauções com o caminho — ou seja, não se atentam para a trilha em que andam: tanto no chão quanto no alto.

Muitas pessoas não veem os animais no trajeto e pisam nos bichos, que devolvem a agressão com picadas ou mordidas a quem se aproxima demais. O trekking é um momento de relaxamento, de conexão com a natureza e desligamento das preocupações cotidianas, mas isso não quer dizer que você não precise se manter atento ao momento presente.

Ao contrário: é muito importante, até mesmo para a conexão e relaxamento do corpo e da mente, que você esteja bem ligado àquele momento que está vivendo. Portanto, fique atento à trilha que está seguindo, observe se o caminho está livre.

Se o solo estiver cheio de folhas, vá batendo um cajado no chão para afastar os animais que porventura estejam próximos. Não se esqueça de observar também as árvores para não ser surpreendido por aranhas ou outros animais que vivem nelas.

Faça silêncio sempre

O ecoturismo não é um esporte solitário, mas é, necessariamente, silencioso. É bom que seja assim, não só para a saúde mental dos participantes, mas também da fauna nativa. Afinal, é bom lembrar que eles não estão acostumados com a gritaria humana no dia a dia, certo?

Além disso, manter o silêncio durante a caminhada é um comportamento de segurança para evitar encontros desagradáveis com animais selvagens já que, assim, é possível escutar o que se aproxima com mais facilidade, fazendo com que você possa se afastar com mais rapidez e segurança.

Escolha roupas adequadas para o trekking e caminhe com cautela

Escolher a roupa e o calçado adequados para a caminhada, além de garantir mais conforto e evitar problemas como insolação e dores nos pés e nas costas, ainda ajudam a evitar acidentes com animais selvagens.

Por isso, durante atividades de ecoturismo, invista em calças compridas confortáveis, camisetas, chapéus e botas, evitando acidentes com animais peçonhentos, por exemplo.

Aja com calma em caso de acidentes

Em caso de acidentes com animais selvagens, mantenha a calma e aja com rapidez. Caso o incidente tenha sido com um animal peçonhento, lave o local com água e sabão e tente manter a vítima deitada, para evitar que o veneno seja absorvido mais rapidamente pelo corpo.

Não faça torniquete, não fure, não corte, não queime, nem faça sucção na ferida. Essas são crendices populares que somente podem agravar a situação.

Caso o acidente seja com animais selvagens não peçonhentos, os procedimentos devem ser os mesmos, atentando para a lavagem do local para evitar infecções e o risco de contaminação por doenças como raiva. Tente identificar a espécie do animal que picou ou mordeu e encaminhe a vítima o mais rápido possível ao serviço de saúde mais próximo.

Como você pode perceber, mantendo a atenção e o respeito com a fauna e os animais selvagens é possível desfrutar de momentos de muito relaxamento e contemplação junto à natureza. Basta um pouco de cuidado e prevenção para ter um encontro harmônico: homens e natureza selvagem em perfeito estado de integração.

Gostou das nossas dicas? Curta nossa página no Facebook e não perca outras sugestões para garantir trilhas cada vez mais incríveis e seguras!

Deixe uma resposta

2 Comentários

  1. Fernando

    Olá amigo, parabéns pelo seu blog!!! Qual a sua dia caso encontre com felinos maiores, tipo onça parda ou mesmo a onça pintada? Onde posso pesquisar de a minha trilha existe esses animais?

    • Pé na Trilha

      Olá, obrigado! Caso realmente encontre uma onça, não corra. Ela será mais rápida que você. Não se aproxime e não tente tirar fotos. Evite contato visual e saia andando devagar. Se ela vier em sua direção, tente parecer grande, levantando os braços e ficando na ponta dos pés. Caso ocorra um ataque, proteja o seu pescoço.
      Porém, sugerimos que evite locais com incidência de animais de grade porte, como as onças. Trilhas em locais fechados costumam ser proibidas quando são encontrados esse tipo de animas, como no caso do Parque Nacional do Iguaçu no fim do ano passado (http://g1.globo.com/pr/parana/ferias-verao/2017/noticia/2016/12/uso-de-trilha-do-parque-nacional-do-iguacu-e-proibido-por-causa-de-oncas.html). Como nem sempre encontramos online informações sobre todas as trilhas, sugerimos que converse com guias, pessoas que já visitaram o local e pergunte em grupos nas redes sociais por pessoas com experiência prévia no local. Durante a trilha, fique atento aos sinais de passagem de animais selvagens, como pegadas ou fezes. Sugerimos também que entre em contato com a unidade de Polícia Florestal responsável pela região e pergunte sobre os animais mais comuns do local e se já houve registros de onças por lá.

Próximo artigoSaiba o Que Levar na Mochila em um Mochilão