Trekking ou Hiking: Você Conhece as Diferenças?

Caminhar ao ar livre em meio à natureza é a essência do trekking e hiking, termos adotados internacionalmente e também no Brasil pelos praticantes dessas atividades. É comum, tanto aqui quanto lá fora, confundir uma prática com a outra, mas há grandes diferenças entre elas.

Acompanhe o artigo de hoje e conheça mais sobre trekking e hiking!

História do trekking e hiking

Antes de vermos as diferenças de percurso, localização, segurança, planejamento e equipamento, que tal saber um pouco da etimologia dos termos trekking e hiking? A origem pode contar mais sobre eles do que parece.

Trekking é um termo que tem suas origens na colonização da África do Sul pelos holandeses, em meados do século XIX. Os voortrekkers, colonizadores holandeses, chamavam as longas e árduas caminhadas pelo território africano de trekking – palavra que vem do verbo trekken, “migrar”.

Esse verbo passou a ter uma conotação de esforço físico, afinal, as cansativas caminhadas eram a única forma de locomoção naqueles tempos.

Hiking é um termo inglês que se traduz literalmente por “andar por aí”. Apesar de o termo não ter origem certa, a prática pode ser datada do início do século XX, particularmente nos Estados Unidos. Basicamente, o hiking acompanha a urbanização das cidades.

À medida que as pessoas foram morar em cidades, que, por sua vez, eram cada vez maiores, sentiam falta da natureza e do campo. A caminhada pela natureza passou a ser vista como um hábito de lazer e de saúde. Logo, os conhecidos grupos de escoteiros surgiriam. Assim se popularizou ainda mais a prática do hiking.

Agora que você já sabe a origem dos termos trekking e hiking, vamos conferir as diferenças entre os dois? Veja as principais características de cada um abaixo.

Tipo de percurso

Hiking


A prática do hiking consiste em uma caminhada ao ar livre, sem obstáculos, em uma trilha demarcada pelo homem. É o que se chamam de trilhas autoguiadas, em que a pessoa não precisa se orientar no espaço ou ser assistida por um guia.

Geralmente, acontece dentro de parques ecológicos e não exige muito preparo físico, podendo ser realizada por pessoas de todas as idades. Isso porque não é comum pernoitar no hiking: as caminhadas são no estilo “bate e volta”, isto é, não se monta acampamento à noite.

O caminho do hiking costuma ser dividido em pontos de parada. Assim se tem mais descanso e a volta é mais simples. Apesar disso, o hiking não é necessariamente mais fácil que o trekking: há vários graus de dificuldade em ambas as práticas, variando de acordo com o local e com as pessoas.

Trekking


Já o trekking envolve esforço físico, superação. Limita-se, geralmente, aos 6.000 metros de altitude e é realizado em caminhos não pavimentados, em terrenos e trilhas com vários tipos de obstáculos.

Como muitas vezes não passa por trilhas, o trekking pode exigir o uso de mapas, bússolas e habilidades de orientação espacial. Essa é uma experiência mais radical de contato e imersão na natureza, cuja recompensa são vistas e paisagens sempre de tirar o fôlego.

O trekking diferencia-se do hiking mais claramente assim que se acampa: como são percursos mais longos, é bastante comum montar barraca. Mesmo porque a preocupação de fazer o retorno no mesmo dia, em geral pelo mesmo caminho, é do hiking.

Podemos fazer um resumo de ambas as práticas, que teriam as seguintes características:

  • Hiking: caminhadas sem pernoite; terrenos em geral menos acidentados, em geral parques ecológicos, próximos ao local de partida; percurso dividido em paradas; mochila menos pesada (não é necessário carregar muitos itens e barraca);
  • Trekking: caminhada com pernoite no percurso; terrenos de todos os tipos, normalmentel em reservas naturais; geralmente percursos mais longos; mochila mais pesada (itens e comida para mais de um dia, barraca e outros).

As diferenças não param por aqui. Além das características gerais que passamos aqui, sabia que existem vários tipos de trekking? Confira alguns abaixo.

Tipos e modalidades de trekking

O trekking pode ser dividido em quatro modalidades: individual, organizado, assistido e competitivo. O trekking individual, como sugere o nome, é feito por trekkers solitários, que organizam os próprios percurso, equipamento e todo o resto; também é chamado de trekking independente.

O trekking organizado é também chamado de trekking em grupo, e isso já explica o que é: ao contrário do individual, é o trekking feito com mais pessoas. É comum que uma empresa organize o percurso, que é trilhado por vários grupos.

O trekking assistido é o meio-termo entre o individual e o organizado. Nele, você é responsável pela equipe e pelo equipamento; porém há a assistência de outras pessoas, como guias e carregadores.

Por fim, o trekking de competição, também chamado de enduro. Costuma ser organizado por empresas ou organizações, que estabelecem o tipo de trekking que definirá a competição. Existem vários tipos de competição em trekking, onde geralmente se tem percurso, tempo de duração e postos de controle definidos.

Deu curiosidade para saber quais tipos de competição em trekking são esses? Confira alguns deles a seguir.

Trekking de regularidade

Neste tipo de trekking, o percurso é preparado com antecedência, e o grupo que fará a caminhada deve se esforçar para se manter nesse percurso. O importante é fazer o percurso certo e regularmente, não a velocidade da caminhada.

Bastante comum em eventos, em que a organização determina o percurso, com linha de chegada e tempo definidos.

Trekking de velocidade

Neste caso, o importante é chegar ao fim do percurso o quanto antes. Para isso, bússola, mapas e outras formas de orientação auxiliam para realizar o menor percurso. Em geral, vários postos de controle são distribuídos ao longo do trajeto para conferir a ordem dos grupos.

Trekking de longa distância ou travessia

Caracterizados, como diz o nome, pela longa distância, estes são trajetos que desafiam a persistência. Aqui o objetivo é alcançar o ponto final; e, para isso, toda uma infraestrutura pode ser necessária: guias, carregadores e até cozinheiros.

Trekking de um dia

Bastante popular, é o tipo com mais adeptos no Brasil. Voltado para iniciantes, tem percursos de até 10 quilômetros e sem pernoite. É uma prática mais de lazer que de competição.

Localização em trekking e hiking

Geralmente, o trekking é realizado em áreas de preservação, intocadas pelo homem, o que faz dessa modalidade uma experiência muito mais interessante para os amantes de aventura. Para os adeptos do trekking, quanto mais hostil e isolado, mais interessante é a experiência da caminhada pelo local.

Uma confusão comum é achar que trekking é sempre montanhismo. Nem sempre esse é o caso: o trekking pode ser feito em qualquer território, desde que dê as condições (e recompensas) para a prática – logo, desde reservas ecológicas até parques podem receber o trekking.

O hiking, por sua vez, é uma atividade indicada para os iniciantes e para pessoas que só querem se exercitar e aumentar o contato com a natureza, mas sem se arriscar por percursos muito longos e com pouca estrutura.

É comum fazer hiking em parques e campos específicos para a prática, com percursos estruturados para isso. Neles você encontrará trilhas, postos de parada, acesso à água e até banheiros, além de proximidade com o local de hospedagem.

Segurança em trekking e hiking

A prática do hiking é muito mais segura se comparado ao trekking. Mesmo assim, exige mínima preparação, como o uso de roupas e calçados adequados para trilha, levar consigo água, comidas de trilha, como barras de cereais, e sempre uma lanterna.

Se o percurso escolhido para o hiking tiver duração de mais de quatro horas (pensando ida e volta), é desejável fazer sempre em companhia de alguém.

Já no trekking, o risco de acidentes é muito maior, visto que os terrenos têm pouca ou nenhuma interferência humana e podem ser íngremes, escorregadios, entre outros fatores. Dependendo do trajeto a ser percorrido e do número de dias, é desejável que se tenha conhecimento de primeiros socorros e técnicas de sobrevivência.

Além disso, é importante que a prática do trekking seja realizada, no mínimo, em dupla, e que um dos membros do grupo tenha boa experiência com esse tipo de atividade.

Planejamento em trekking e hiking

Um bom planejamento é essencial para a prática do trekking, visto que é um percurso longo, que exige um bom preparo físico e inúmeros equipamentos, inclusive para camping. Por isso, é necessário realizar pesquisas sobre a região para a qual você pretende ir, analisando pontos como distância, clima, tipo de solo etc.

Já para o hiking, não é necessário se planejar tanto. O principal é buscar informações sobre o campo ou parque escolhido para a prática e conferir se há reclamações. Evite ir a lugares muito isolados ou sem referências.

Encontrando parques conhecidos e com boa reputação, não é preciso muito mais planejamento. Basta utilizar os equipamentos adequados e partir para a caminhada.

Em ambas as práticas, o impacto ambiental deve ser levado em conta – ignorá-lo é um dos erros mais comuns. Como no hiking há mais estrutura que no trekking, o risco de impactar o meio ambiente é geralmente menor – desde que o local seja idôneo, por isso, pesquisar parques e campos (em fóruns ou sites de turismo, por exemplo) é importante.

Equipamentos de trekking e hiking

Para o hiking, é aconselhável usar roupas leves de secagem rápida, tênis ou bota para trilha – por oferecerem mais estabilidade e proteção do que um tênis de passeio ou corrida –, boné, protetor solar e óculos escuros, além de uma mochila pequena com uma blusa para frio, comida e água para o tempo que você ficará fora. Cuidado para não exagerar no peso da mochila – uma das dicas mais preciosas para caminhadas!

Já para a prática do trekking, além dos equipamentos listados acima, podemos citar: mochila cargueira, saco de dormir e barraca (se for acampar), e outros equipamentos e acessórios não menos essenciais, como lanterna de cabeça com pilhas extras, acessórios de cozinha (fogareiro, panelas e talheres) – além do que levar para comer, kit de primeiros socorros e equipamentos de orientação como bússola e/ou GPS, mapa da região, além de produtos de higiene pessoal.

As práticas de trekking e hiking, além de extremamente prazerosas, trazem inúmeros benefícios para a saúde. Se você pretende iniciar esse tipo de atividade, procure a orientação de um profissional, use equipamentos de qualidade e o mais importante de tudo: divirta-se!

E então, entre trekking e hiking, qual das modalidades tem mais a ver com você? Já pratica alguma delas? Deixe sua opinião nos comentários!

Deixe uma resposta

Next ArticleSaiba como fazer uma fogueira em acampamentos